Ultimamente tem-se falado descompensadamente dos oficiais de justiça, sendo que em todas as profissões, como nesta, também existem profissionais briosos! Esta carreira está prevista como sendo de regime especial, por ter um especial grau de exigência, pois obriga a conhecimentos técnicos e jurídicos na tramitação processual, apoio a julgamentos, diligências externas, entre outros. Tal exige trabalho e dedicação para além do normal horário, incluindo fins-de-semana, sem uma qualquer remuneração acessória, sendo certo que as alterações das leis processuais incontinentemente sucedem-se.

A sua disponibilidade é, por norma, permanente, pois, julgamentos, interrogatórios e outras diligências não se compadecem com horários de trabalho. Este empenho não é de agora, acontece desde sempre.

Não foi por acaso que, profissionais de outras áreas exigentes, como as Finanças, que passaram pelas secretarias judiciais, ao fim de uns meses acabaram por desistir!

Os oficiais de justiça são igualmente os responsáveis por programas informáticos como o habilus, o citius, gestão orçamental, entre outros, poupando aqui e de há muito, milhões de euros ao Estado.

Daí que os responsáveis, políticos e não só, pela Justiça deveriam ter a obrigação de dar o merecido reconhecimento a esta profissão integrada e suporte do órgão de soberania - Tribunais

Diamantino Pereira

Jurista

Go to top